sexta-feira, 29 de julho de 2011

02 AC , 1325 DC, 1745 , 1895 DC, 1945 DC, 1971 DC..

...é o mesmo silêncio.
Talvez a falta de uma brisa regada à oliveiras, um breve mistura de sandálias erguendo o pó das colinas...
Podem ser os grilos e vagalumes que não avisto mais, ou quem sabe , o vento do oceano sobre nossas armaduras, fazendo -nos ver o que está sobre nossas cabeças...
...poderia ser neste ano de descobertas, de inovações e de questionamentos...
...ou mesmo nesta década obscura aonde vemos entrincheirados e morteiros, fumaça e sons diversos...
Ou agora, exatamente agora, sinto o silêncio cômodo ao meu lado, invadindo meu tempo, preenchendo meus pensamentos...
Não importa a época, este mesmo som, ou a ausência dele, reclama uma decisão para toda a minha vida.
Muitas vezes necessitamos deste distanciamento, um telefone mudo, uma folha em branco, as luzes apagadas, a janela entreaberta, meia luz na noite, televisão desligada...

Preciso recuperar as letras lá fora, para a folha aqui dentro, e aí sim, decidir-me qual rumo tomar...
Por enquanto aqui ainda é noite

Nenhum comentário:

Postar um comentário