quarta-feira, 18 de julho de 2012

O AMOR LÍQUIDO

Este amor de hoje não pode aquecer, ou esquentar...
Aquecer até esquentar  envolve evaporar...
...e depois disto, tudo se encerra.



Não querem saber de amor e muito menos de química!
As coisas tem que ser mornas pois dão menos trabalho.

A incrível velocidade que a tecnologia nos proporcionou,
ao mesmo tempo levou-nos a andar de muletas quando se trata de relacionamentos.





Será que desta forma o romantismo está cinza?
Aonde poderemos ouvir que uma música é tão bela que dói?
Ou que realmente ver você deixou-me sereno?
Ou sinto falta dos montes e da grama pela estrada...





Será que somos os últimos que sentem duradouramente???
Pois vejo amores impossíveis sucederem-se por dias somente,
amores eternos que são como gripes.

Muitas coisas agora são ditas como piegas e ultrapassadas...
O celular diz por si mesmo,
o toque mais forte agora é o do teclado e da mensagem abreviada...
Não irão inventar um aplicativo que faça você pedir perdão a quem magoou,
ou que traduza com sinceridade quando se amar realmente.


E me pergunto. Como as floriculturas sobrevivem há tanto tempo?
Por que não se tem mais paciência em se conhecer pessoas e lugares?
A história está sendo perdida para o imediatismo que não tem estória, e não fará história.

Audrey Hepburn....Sinatra...Lewis...Bogart...




Não me lembro de nomes e rostos bonitos que marcaram nossa época atual...sabemos cifras...

Lennon, Dylan, Sinatra, Martin, Elvis, Lou Red,  Ray, ....

Nunca como agora viu-se uma geração tão vazia  e oca....

Vazia de ideais verdadeiros e oca de sentimentos naturais...

Um hamburguer em vez de um café com olhos amêndoas do teu lado...

Vampiros aos borbotões do que um sentido não tão ameno mas real.

E ao se falar de essência pessoas pensam em perfumes...



E ao se falar em busca de um outro, não há  idéia nem de si mesmos.

E quando com coragem se questiona o ALTO, risos, deboches e sarcasmo.

E no fundo, dentro de cada um , a melancolia forjada em busca prazerosa volátil...

Por isso o AMOR em tuas as suas nuances tem que ser morno...

Se esquentar dará trabalho, mais fácil manter esta temperatura trocando-se o frasco, ou o bico ...

...amor se troca, vende, aluga, loca, empresta... tolos que somos!

Um hamburguer em vez de um café..

Uma dança embalada em whisky e o nome dele que esqueci...

Um sozinho mas não solitário do que um quebra cabeça para descobrir quem tu és...

A perda do Unicidade, a perda do Deus por nós mesmos...

A desculpa de que não há tempo para quase nada que seja real , verdadeiro e humano...

E estamos nos contaminando da mesma forma, por culpa nossa e erro nosso.

Prefiro as roupas rasgadas e alma arranhada e pulmões plenos,




do que o conforto aparente do sabor do pão e carne....

continua....



Um comentário: