segunda-feira, 25 de março de 2013

DE TODAS AS LEMBRANÇAS, A MELHOR, É O HORIZONTE!



O gelo não é para ficar entre os dedos.
O sabor da mesma forma não pertence somente à língua.

Olhando em volta, e sentindo um pouco da areia ser levada de volta ao mar, minhas costas também ficaram marcadas.
Era como se alguém me dissesse, ei! Estou passando por aqui! Com a tua licença...

- O que você espera daqui para a frente?
- Eu realmente não sei...- retiro o pé do buraco que fiz na areia. - mas acho que agora , hoje aqui, é aproveitar...
- Mas, você tem saudade?
Olho para ela, bem no fundo dos olhos, de cor de cedro.
- Entenda uma coisa que demorei para entender. Hoje, neste exato momento - pego a mão dela recentemente pintada em unhas de cor leve - e você sentirá que estou tocando tua pele..
Os olhos sorriem.
- Hoje, neste sol leve, o vento que está pedindo para voltar para o mar, eu e você aqui.
Aproximo meu corpo do dela, e sento-me muito perto, sentindo o perfume da pele.
- Hoje, agora, estou olhando bem em teus olhos...
Os olhos dela agora são da cor de cedro com alguma flor verde...
- O que você está fazendo? - a voz está confusa, mas o corpo não recua.
- Estou perto de você...
Minhas mãos tocam o queixo, e contornam o rosto.
Eu a beijo vagarosamente. Os lábios ficam selados por quanto tempo? O suficiente para ela não recuar mais, como tantas outras vezes...
Os braços envolveram-se ao meu pescoço.
Mas é tempo demais que se foi..

- Será que você lembrará deste dia? Ou serei somente fragmento de tua memória?Faz uma coisa...olha para a frente..
Os olhos de cedro encaram o mar imenso à nossa frente e o sol distanciando-se sem misericórdia.
- Vê essa linha que divide céu e mar?
Os olhos de cedro agora estão vermelhos, e o choro dela é silencioso.
- Estarei exatamente aqui, sempre!Esta será a melhor lembrança, pois caberá não somente o tamanho do nossos olhos que podem enxergar, mas o coração.
Eu parto.
Ela se ergue mas não vem atrás de  mim. Olha para mim até eu me misturar ao mundo, longe da praia, e , de sua vida.



6 comentários:

  1. Ela o olha feliz pelos momentos compartilhados juntos, com vontade de o não deixar partir... Mas não o segura, pq sabe que ele pertence ao mundo...
    Quando pertos,ele não se incomoda com o perfume dela e, tampouco ela, com a areia do corpo dele, pq esse pode ser o ultimo momento dos dois juntos. Apenas Vivem, riem, compartilham... Pq na vida, isso é oq interessa.

    ResponderExcluir
  2. PARA VOCE AMIGO....

    Ela ficou olhando pela janela, observando a lua, os movimentos dos carros e conversando com o vento, como se esse pudesse responder suas orações silenciosas...
    E oq ela tanto dizia? Nada... Mas seu coração sim, esse entrava em prece pedindo que o Céu protegesse àqueles que ela carregava em seu coração e que lhe foram tão importantes em dias de tempestades e, que as estrelas não brilhavam, nem mesmo em suas lembranças.
    Houve dias que lagrimas correram em seus olhos, a tristeza da ausência desses que lhe eram tão caros... ausência física, ausência de noticias ou ainda, apenas ausência das palavras negada em um silêncio doloroso, vindo do outro lado.
    E oq se pensa sobre grandes amigos?
    Não... eles são àqueles que apenas estão ao seu lado... Pois há muitos ao seu lado que nem percebem sua dor, mas compartilham apenas de suas alegrias. Ela lamenta os amigos que sabem dos seus tombos, tropeços, mas em vez de lhe estender as mãos, lhe estendem criticas, do “Eu te falei”.
    Cada um dá os passos segundo seus aprendizados... Ninguem trilha a mesma estrada, usando passos parecidos, simétricos, paralelos. Cada um usa seu próprio sapato, sua própria mochila de saber, leva sua própria água e alimento. No máximo compartilham... Dividem
    Ela sente falta do amigo que faz do silencio a oração que muitas vezes ela fez, olhando pela janela, pedindo a Deus que proteja àqueles que ela não pode naquele momento. Do amigo que manda um “oi” inesperado. Que segura sua mão. Que compartilha um filme, um vinho, uma prosa.
    Ela sente falta do amigo que estava todos os dias presente, mesmo quando a distancia entre eles era um oceano... pq não se faziam ausentes. Ela sente falta das besteiras, das brincadeiras, do sorriso gratuito, do descompromisso.
    Ela hoje olha o horizonte e lamenta... Pois a única coisa que carrega no peito são as poucas e boas lembranças, do tempo que só eram apontadas as qualidades, e não apenas criticas a sua pele, seu trabalho, seu estudo, sua fala, seu sapato, sua roupa, seu cabelo, SEU TODO.
    Ela hoje ainda olha para o horizonte e ri... sorri... Boas lembranças do tempo de outrora, onde tudo era tão simples... mas que o complexo resolveu dissolver. Ela ainda ora, conversa com o vento e pede: “Protege àquele que eu não posso estar mais tão próxima... Protege àquele que nada mais posso fazer para proteger...”
    Saudades é uma linha no horizonte, onde tudo que diz é: VALEU A PENA CADA MOMENTO QUE ME PERMITI...

    ResponderExcluir
  3. FEILZ PÁSCOA! Muito linda sua prosa poética

    ResponderExcluir
  4. Caríssimo amigo

    Digo-te como me é importante escrever essas palavras.
    São como sopros de primaveras, suaves e lentos, permitindo-me respirar lentamente carícias que estão aparecendo em minha memória.
    Quero que sinta comigo a esperança de reencontrar esse sentimento, essa renovação, a partir da ponta dos dedos para o nascimento das emoções.

    Quero compartilhar meus sonhos, minhas andanças longe desta realidade.
    Eu vejo estes dias, em que a chuva cai pela janela... E ainda assim, quando chego a fechar os olhos, um outro mundo me vem ao olhar.
    Estou cercada por luzes, formando um véu de mistério sobre o que me rodeia.
    Uma música que sobe suavemente, trazendo os seus segredos e o eco das vozes distantes que falam uma língua estranha, que não entendo.
    No entanto, sinto-me presa e acho que é impossível entender.
    Estendo minha mão e meus dedos petrificam, deslizando sobre um lago congelado e transparente.
    Uma névoa fina desce gradualmente como um véu.
    A janela reaparece, vejo o céu rasgar numa torrente de lágrimas.
    Fica no ar uma melodia que afeta a minha memória, em resposta ao silêncio da janela.
    Espero que essa melodia possa penetrar nas nuvens.
    Os sonhos são todos igualmente inacessíveis? Tenho me perguntado...
    Será que fechando os olhos verei a janela aberta, sem fronteiras e sem nuvens cinza à vista?
    Quero um horizonte, as cores do arco-íris, com toda a beleza que o céu pode oferecer, onde o cinzento desapareça antes que chegue o brilho da aurora.
    Será um dia eterno, embalado pela suavidade de uma única voz...
    Uma voz que foi gravada na minha lembrança!
    A memória segredou a última vez, quando numa leve piscada, meus olhos esconderam a chuva lá fora, duas palavras que beijam meu pensamento. Um beijo que dura suavemente...
    Até que os lábios se separem. Há sempre duas palavras com significados muito profundos. Uma fusão de sentimentos... (PRECISO DE TI).

    Rosangela Colares

    ResponderExcluir
  5. Somente posso agradecer imensamente as palavras que são frases, que são energias e que são sentimentos! Muito obrigado pelo carinho e atenção!

    ResponderExcluir