sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

OLMO



Nem que eu possa dormir somente alguns minutos nesta madrugada,
embora tenha somente um pouco do sonho,
mas com a consciência tranquila e alma ereta,
não me importa nada do que diga.


Não são as dores que incomodam,
mas pequenas decepções de quem não ousa.
Ousa pensar e entender, pôr se no outro.
Não ficar somente em si.



E de como um tratar de um outro ser, vem demonstrar como podemos estar...
Mas, reafirmo, que embora entristecido por uma companhia inerte de solidão,
a consciência e paz de espírito preenchem .



Olmo - tinha que ser do meu eu, bem o meu eu!



Nenhum comentário:

Postar um comentário