terça-feira, 18 de março de 2014

FRASCO DE ESSÊNCIAS


Há um cardápio em mim.
Feito em essências.
São cores degustadas sutilmente, ou obtidas por meus sentimentos.

Sabe quando bateu saudade?
Quando ao entrar em meu apartamento, vi a porta do banheiro ligeiramente aberta.
E daí senti tua fragância , que é a exata composição de perfume e tua pele.
Únicos!
Respirei com medo, de perder a referência , e manter uma saudade eterna.



Busquei os pequenos frascos, que me presenteou , antes de me fornecer o melhor.
Tudo muito singelo, delicado mas forte e firme.

Sempre olhei em silêncio escondido, o teu ritual ao maquiar-se.
São os lápis, é o batom, o óleo sobre teu corpo.
Tudo somente como um detalhe na tela, pois a paisagem é você.

O travesseiro resolveu despedir-se, deixando somente algodão .
Mas o frasco? Persiste!
Mais por minha insistência em desejar estar!

Há um cardápio em mim, de cores e sabores, de acordo com meus passos e direção de olhos.
E uma mão tão diminuta conseguiu segurar todo o meu coração.

Não te disse, mas um dia senti tua risada carinhosa e leve.
Ouvi aqui dentro de mim, enquanto buscava no sofá regado com as almofadas.

O umidificador desligado... ( pensei em colocar essência nele )
para talvez sentir um décimo de ti.

Rilke nunca foi mais amargo para mim do que agora.
Mas deixo a ti uma lembrança , de nós , para teu coração.

O cardápio é para teu sabor .

Aquece a mão,
afaga o peito
e adormece entrelaçando pernas
sonhando alto,
gemendo baixo
e se aproximando !

Com amor! Eu te amo!



sábado, 8 de março de 2014

Olhar para cima



Preciso dizer alguma coisa?

Ou, já é suficiente o que sinto em vez de falar?

Ah, temos ainda o tempo...

Até Sempre: E DO VERMELHO, E DO VERDE.

Até Sempre: E DO VERMELHO, E DO VERDE.: Não me fale da menta. Eu tenho âmbar. Não me jogue à cara o que me disse em palavras Pois se existe asfalto, é nele que piso. Ah,...