quinta-feira, 3 de abril de 2014

ATÉ BREVE MÃE




(para uma mana, que despediu-se de sua mama)

Como dizia nosso querido Chico, perder um filho é uma dor que não tem nome...mas não desmerecendo nossos pais, " ficar" ausente de nossa mãe é como agora pousar em um país totalmente diferente, bem no meio da linha do horizonte.

Lá você olhará e verá quem foi e tudo o que fez e o que Deus lhe permitiu com tua mãe, e, ao olhar para frente, verá um campo vasto, mas solitário. 
Faltará não o pão caseiro, mas a voz de boa noite, talvez...
...e tantas e tantas outras coisas, MAS, haverá sempre acima de ti uma coisa,
não incômoda mas presente.
Será a saudade carregada em amor de tua mãe para contigo, e desse amor, serão os pais e os avós, acompanhando nesse retorno à pátria espiritual.
Essa saudade , que é amor, será parte eterna de ti agora.
Será aquela voz no fundo da alma, aquele "sonho" interrompido na melhor parte, será a saudade da presença física.
Mas, novamente, como amor não é medido, nem pesado , ele será amor de mãe, de amiga, de companheira aonde quer que você vá.
Chore agora, tudo que possa chorar, mas no final chore com orgulho de saber que és filha de um ser especial, que agora fez uma mala, pequenina, cabendo um livro, o dela mesma, de retorno ao teus !

Seja feliz, é o maior desejo de uma mãe para com seus filhos.

E de lá, aonde ela estará , esperando e trabalhando o teu cantinho sempre será guardado, dá um tempo, o telefone sempre toca, ou por voz, ou por tempo, ou por ela mesma!

A paz de Deus em teu coração e em toda a sua família

Sentimentos do teu "mano" de cá!



Nenhum comentário:

Postar um comentário