terça-feira, 10 de junho de 2014

ME ENCONTRA NO MEIO DO CAMINHO



- E aonde poderei te encontrar?
- Você quer dicas? - olhando para mim com seus tons verdes nos olhos
- Talvez não necessariamente dicas.
- Mas se eu as lhe der, você perderá o melhor de tudo.
- E o que seria isso? - insisto.
- A viagem. - sorrindo para mim, tocando meu rosto.
- Mas qual graça tem em estar sozinho na viagem?
- A descoberta Cá, o prazer de fazer o que bem entender, ouvir a música em seu tom, abaixar o vidro quando quiser, encostar na beira da estrada para ver o sol se pôr, ou para sentir o cheiro do capim recem cortado...
- Diz isso com se...
- Sempre! Conhecer você é uma descoberta, mas você não percebe isso. Se estive tanto tempo não é somente por gostar, mas no prazer de te descobrir, quando você silencia, quando você se afasta , pondo as mãos na cintura olhando o horizonte - ergue-se olhando para direita e sol fica bem de encontro com teus olhos, liberando ainda mais teu perfume.
- Mas, sempre poderei te encontrar? - por que insisto tanto nisso?
- Por que temos saudade? - responde com outra pergunta, sabendo que odeio isso!
- E a saudade trás felicidade?
- Como não? - e você caminha para o outro lado da estrada, ficando de frente para mim.
- Mas...
- Mas, o que te incomoda é que sempre estive um passo à tua frente, isso você acha como ninguém!
- Imagina... - certíssima mais uma vez.
- Tá vendo que tem retornos? - e aponta a placa.
- Sim.
- Ignore-os sempre por favor, isso te limitará dando dúvida.
- Tá bem.
- Vem cá. - suavizando o timbre de voz.
- Eu não, estou aqui - encostado no capô do carro.
- Ok - atravessa a estrada e se encosta bem perto do meu corpo.
- Fecha os olhos vai. Quero beijar você...novamente.



( continua )



Nenhum comentário:

Postar um comentário