quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

HER - PROFUNDAMENTE BELO E DOLORIDO




De quem somos?
Você que lê exatamente estas linhas é de alguém? Ou alguém lhe pertence?
Olhe lá para fora, se não há janelas aí, procure uma e olhe lá para fora.
Quem está com você?
Pertencemos a que plano nesta existência?

O amor possui medidas geométricas? Peso corpóreo?
Ele limita-se ao estar aqui somente ou transcende tempo e espaço?

Precisa-se de toque? Ou somente estar?
E o que é necessariamente estar presente? Uma voz? Uma carta?

Pense bem , exatamente agora.
Pode responder uma destas perguntas ?

O que é estar?

Spike Jonze transcendeu desta vez...

Todo criador não exercerá poder sobre sua criatura.( conscientes ).
Não porque não pode, mas porque não precisa!
Aí está o belo do livre arbítrio.

Poderá ao máximo compartilhar todas as descobertas , estar presente.
Mas, evoluímos?

O amor poderá ser estabelecido em seres completamente distintos , diferentes entre si?
Haverá barreiras, mais isso será impecilho?

É isso que ele apresenta. Perguntas.
Não se trata somente de respostas, mas de possibilidades.

A partir de quando o outro faz-se presente na existÊncia da pessoa?
E fazer-se existente é estar em corpo?

A essência de cada ser está exatamente aonde?
Spike mostra quando alguém entra em nossas vidas.
Mostra como pode evoluir, crescer, descobrir, inventar-se e amar.

Mas até quando este amor é ético?
Ser único é ser exclusivamente de um?

Amar dói.
Amar é entrar em terreno minado, pois não se tem controle às vezes nem sobre si.

Spike Jonze quer deixar essa dúvida e uma resposta:

Em tempos de futuro, estamos tão conectados às pessoas pela tecnologia, mas nunca estivemos tão distantes do vizinho ao lado de nós...ou de quem tentamos amar. Ou conhecer.

O amor é perfeito?

Uma proximidade isolante.

Um amor que aprende, ou apreende?

Leia, assistam , não uma, mas duas, ou três vezes.

Esse futuro é tão palpável, mas será palatável?

Creio que para "almas" grandes, o conceito de ir, de crescer e multiplicar-se em amor, seja um conceito muito distante do nosso , muito distante.

Mas ao final, temos um nó na garganta, daqueles de que não desce com alguma bebida suave.

Esse nó está entre nosso coração e espírito.

Saiba quem possa, desatar e não, romper.




Nenhum comentário:

Postar um comentário