segunda-feira, 9 de novembro de 2015

ROSA ENTREGUE.




As letras se formaram por acaso, preenchendo vazios temporários do branco da tela...

E das telas, para as beges do celular...

E das telas veio a tua voz.

O sorriso surgiu leve e a curiosidade se aproximou, como criança que deseja ouvir um novo som.

E , o tempo passou entre conversas e sorrisos, risadas e palavras ainda não verbalizadas, ainda não comentadas e olhares ainda por serem realizados.

O caminho foi desta forma se formando, e as mãos trêmulas e o suor frio do colegial a encontrar a primeira menina, moça e mulher, o flerte , enfim...

Tanto que , ou asa ou barbatana de pinguim???

De longe vi você se aproximar, e observei cada detalhe de como andava,

desde os cabelos que tocam os ombros,

a bolsa, a blusa entorno,

as pulseiras e o relógio,

mas principalmente o olhar e sorriso.

O aproximar revelou como uma exploração de novo mundo, terras novas e solitárias.

E o misto, maravilhoso em sua pele, teu cheiro .

A conversa, o sorriso, o toque de pele leve...

A despedida, um abraço forte e marcante, mas com o perfume teu, em meu corpo.

Não se trata de menino, mas de homem, que deseja, que irá conquistar, que mostrará mundos, sorrisos e paz ao teu coração.

Esse homem que leu você em entrelinhas.


Que desejou, que instigou e que sentiu tua boca, E as borboletas seguem no estômago.

teus lábios, teu sorriso, teu hálito, teu corpo definido e forte. belo e marcante,

teu desejo, tua mordida, teu suspiro e teu abraço.

E que agora irá seguir, construir e mostrar que a caixa de pandora reserva alegrias , desejos, vontades.

Seu

Asa ou barbatana ( ainda não definimos não? )

Beijo

Nenhum comentário:

Postar um comentário