segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

QUANDO VOCÊ NÃO É DE NINGUÉM




Paulo conseguiu guardar o porta retratos.

Mas sempre que adormecia , entrava dentro , após a moldura de madeira e olhava o mundo através do papel que se tornou.
E o papel filme em que marcou um momento de sua vida e de Carolina sentados à pedra vendo o sol nascer.

Paulo não conseguiu sair .
Ainda ao dormir deixava o coração guiar sua essência para longe de tudo mas muito perto de Carolina, que o trocou , não por 30 moedas...

Paulo!
Paulooo! 
Acorda amigo.
O copo com Black Label está entre os dedos, e o gelo informa que está pronto.

Busca no fundo do copo uma pedra, talvez alguma que faça a boca acordar para novos sabores.
Respira e diz finalmente.

- Acho que já chega não?
Aceno com a cabeça.
- Sabe quando realmente estamos bem?
Ele olha para sua mão ainda recentemente marcada pela aliança.
- Quando dizemos com coração " quero estar "... e não preciso dele, dela..

Paulo deu a última talagada no copo de whisky, deu um beijo em meu rosto e ganhou a rua.

Amigo tem que aguardar os amigos que saem por aí , para bem longe do próprio ninho que construíram; não porque sejamos pretensos pais, mas sim, porque estamos lá no outro galho pilhando para que voe também.

Paulo sumiu por mais de mês.

Não disse nada,mas a foto no "Insta" disse tudo.

Uma selfie com o mundo abaixo de si, um sorriso que  há tempos não existia em seus olhos.
Paulo e o mundo. Bem vindo meu amigo!



Nenhum comentário:

Postar um comentário